quarta-feira, 8 de outubro de 2014

A suposta extinção do estado e o suposto comunismo

primeira < anterior 1 de 2 próxima > última
a a - 22/05/2009
A suposta extinção do estado e o suposto comunismo
.

A suposta extinção do estado e o suposto comunismo, nada sabemos ! Pois nada foi dito.

Já disseram que o marxismo é uma "teoria" da tomada do poder, porém, nada existe que oriente os socialistas após a tomada do poder !
E é verdade !
Marx desde o Manifesto e por toda a vida sempre pregou a revolução do proletariado, e disse que era comunista, e que os comunistas queriam tirar a propriedade privada dos burgueses e colocá-las nas mãos do estado socialista centralizador.
Com isso, Marx disse que com os proletários no poder o estado iria se enfraquecendo e finalmente sumiria e se chegaria ao comunismo !
Mas, Marx jamais disse qual seria o processo, quais seriam as causas e razões que levariam o estado a desaparecer.
E muito menos Marx jamais disse como seria quando chegassem ao comunismo !
Como seria o dia-a-dia dessa sociedade ?
Marx não disse, ele jamais fez uma Teoria da Sociedade Comunista.

Sabem por quê ?
Porque Marx não sabia como seria !
Incrível não é ?!
Mas é a mais pura verdade, Marx jamais soube como seria a sociedade que propunha, o comunismo !

.
a a - 22/05/2009
.

A resposta de Marx a pergunta - como seria a sociedade comunista ?

Vou colocar a seguir um texto de Marx que jamais vi alguém mencionar, é uma raridade !
Vejamos então o que o embromador "mestre" disse a respeito de como seria a sociedade comunista.

A resposta de Marx a esta pergunta está em seu texto:

Crítica ao Programa de Ghota.
Comentários marginais.
"A "sociedade atual" é a sociedade capitalista que existe em todos os países civilizados, mais ou menos expurgada de elementos medievais, mais ou menos modificada pela evolução histórica particular de cada pais, mais ou menos desenvolvida.
O "Estado atual", pelo contrário, muda com a fronteira.
É diferente no Império prussiano-alemão e na Suíça, na Inglaterra e nos Estados Unidos.
O "Estado atual" é pois uma ficção.
.....
Então surge a pergunta:
que transformação sofrerá o Estado numa sociedade comunista?
Por outras palavras:
que funções sociais análogas às atuais funções do Estado subsistirão ?
Só a ciência pode responder a esta pergunta;
Entre a sociedade capitalista e a sociedade comunista situa-se o período de transformação revolucionária de uma na outra, a que corresponde um período de transição política em que o Estado não poderá ser outra coisa que não a ditadura revolucionária do proletariado."


Isso é uma obra prima da irresponsabilidade !

O sujeito faz uma promessa para uma parte da humanidade durante toda a vida, e depois, quase no fim da sua vida (1875), ele diz que não sabe como vai ser o estado depois da revolução do proletariado, sabe apenas que tal estado será a ditadura do proletariado ...
E que, como vai ser o estado comunista isso é uma coisa que a ciência é que terá a tarefa de descobrir !

Inacreditável isso !
E o "mestre" ainda tem a cara de pau de dizer que o "estado atual" é ficção !

cont...

.
a a - 22/05/2009
.

E se a ciência não conseguir resolver ?
Como fica ?
- Fica a porcaria da ditadura do proletariado para sempre !
Como está em Cuba a 50 anos.

E como seria de se esperar, as pessoas depois de algum tempo vão começar a perguntar - e o comunismo, não vai chegar ?
Mas, o comunismo não chega...
As pessoas vão começando a ficar descontentes ... o que fazer com esses descontentes ?
Endurecer.
São "dissidentes" ! (mais um slogan)
Traidores.
Cadeia para eles para calá-los.
E se tiver algum mais teimoso na "dissidência", mata.
E foi o que aconteceu, a ditadura apenas mudou de nome, e se transformou na criminosa e falida ditadura socialista que matou milhões de "dissidentes".

.

E vejam que a ciência, a quem Marx entregou o abacaxi, faz parte da chamada "superestrutura" social, que segundo o marxismo, surge e é determinada pelo materialismo econômico !

Segundo o materialismo histórico, são as "forças produtivas" que determinam a "superestrutura" social ... então, é contraditório que seja a ciência que tenha que resolver como seria o estado na sociedade comunista !

E o "materialismo dialético", não serve para nada ?
Por que Marx e seu "materialismo dialético" não resolveram esse problema em vez de jogar a tarefa para a ciência ?

Esta é apenas mais uma, das muitas - contradições, omissões e mentiras do marxismo.

.
a a - 23/05/2009
comentário interessante
.

O texto a seguir foi colocado na comunidade anterior, que foi excluída, o nome do autor é - Bernardo

.

Esse negócio de que Marx apontou propostas efetivas é simples ignorância. Não se vai achar nada nos escritos de Marx sobre como seria realmente o mundo socialista. Ele não falou sobre, até porque, de acordo com o método dele, isso seria anti-científico.

O que Marx fez foi criar uma teoria absurda da história em nível abstrato, na qual o modo de produção caminha para o comunismo - isso é só uma adaptação da filosofia da história de Hegel, em que o Weltgeist caminha para a autoconsciência.

Quando os marxistas fizeram a revolução em 1917, não tinham a mínima noção do que fazer no "day after".
Isso se devia a algo muito simples: Marx e Engels não tinham o mínimo entendimento de economia.
Por exemplo, Engels achava que a atividade capitalista não passava de uma atividade contábil!

A primeira fórmula econômica para a economia socialista seria manter a idéia de que os salários deveriam ser pagos pelo tempo correspondente de trabalho - isso mesmo, em Marx não existe essa idéia de igualdade, tanto que num panfleto chamado Salário, Preço e Lucro, no final, ele dá um esporro nos sindicatos que buscam igualdade nos salários, dizendo que isso viola a "lei do valor" - e que na fase propriamente comunista - que ninguém sabe o que é - as coisas ocorreriam segundo a máxima do "de cada um de acordo com sua capacidade, a cada um de acordo com sua necessidade".

cont...

.
a a - 09/08/2009
comentário interessante
.

Esse é o ponto fundamental: a premissa fundamental sobre o funcionamento do comunismo é o fim da escassez!

Não é por acaso que os marxistas mais inteligentes nunca levaram essas coisas muito a sério - e nem os não-marxistas.

Raymond Aron, por exemplo, em O Marxismo de Marx, comentando essa passagem, diz que é melhor ignorá-la para propósitos críticos, pois não é muito mais do que mera retórica.

No fundo, como diz Mises na introdução do Economic Calculation in the Socialist Commonwealth, a atividade dos socialistas sempre foi meramente crítica, confiando num futuro bizarro, onde "as galinhas assadas voam para a boca dos camaradas"!

.
Edimilson Barbosa da Silva - 10/08/2009
é por causa de um absrudo desses que na antiga URSS um astronauta ganahva o mesmo que um motorista de caminhão....Pode!
Edimilson Barbosa da Silva - 10/08/2009
Maxista normalmente tem a mente atrofiada, não gosta de pensar dentro de uma lógica.

Então para esses idiotas vou fazer uma pequena colocação.


A civilização iniciou-se mais ou menos ha 10 mil anos antras na região onde onde hoje é o Iraque - quem fez o ensino fundamental sabe disso.

O que pouco gente sabe é que somente no seculo XVII a humanidade alcasou a ordem de 1 Bilhão de seres humanos.

Acontece que foi ápartir do seculo XVII que começou a era industrial com a invenção da máquina a vapor e pode-se dizer que começou a era capitalista.

Pois bem, sabe o que aconteceu com a humanidade nestes 300 anos de capitalistmo!!!!

Saltou de 1 Bilhão para quase 7 (SETE) Bilhões de habitantes.

Assim capitalismo promoveu tamanha capacidade de sobrevivencia e sobrevida aos seres humanos que em 300 anos produziu 6 vezes mais seres humanso que os 10 mil anos anteriores.


Assim, qualquer pessoa que ainda critica o capitalismo é desprovido de conhecimento e acima de tudo um IDIOTA.

Mas o pior não é ser Idiota mas continuar IDIOTA acreditando nessa coisa absurda que nunca deu certo em lugar nehum - o maxismo.
Igor Hanna - 11/08/2009
Isso é bem verdade..
Hobbsbawn na '' era das revoluçoes'' diz que 2/3 do exercito napoleonico nao media mais que 1,50 de altura..
Imagino como devia ser a escassez de alimento naquela epoca e como um sistema centralizador de produçao e distribuiçao de alimentos pode se refletir na sociedade em questao de forma negativa.

Michael Pollan em ''o dilema do onívoro'', deixa bastante claro o efeito positivo do aparecimento do maquinário agricola e principalmente dos fertilizantes para o aumento da produçao de alimentos.
a a - 05/11/2009
Como seria uma sociedade comunista ?
.

O que se coloca aqui não é a baboseira ideológica para tolos de que seria "uma sociedade sem estado e sem classes"...
O que queremos saber é COMO SE CHEGARÁ A ISSO ?
Quais são as fases de desenvolvimento ?
Como serão as relações sociais ?
Até onde vai o que um comunista pode fazer para não ferir os direitos do comunista a seu lado ?
Quem vai determinar isso e como ?



Vejamos palavras de Marx sobre como seria o estado em uma sociedade comunista.


Crítica ao Programa de Gotha
Comentários marginas
Item IV
.....
A «sociedade hodierna» é a sociedade capitalista, que existe em todos os países civilizados, mais ou menos livre de acrescentos medievais, mais ou menos modificada pelo desenvolvimento histórico particular de cada país, mais ou menos desenvolvida.
O «Estado hodierno», pelo contrário, muda com as fronteiras do país.
No Império prusso-alemão é diferente de na Suíça, na Inglaterra é diferente de nos Estados Unidos. «O Estado hodierno» é, portanto, uma ficção.

No entanto, os diversos Estados dos diversos países civilizados, apesar da sua variada diversidade de formas, têm tudo isto em comum: erguem-se sobre o solo da sociedade burguesa moderna, só que umas mais ou menos desenvolvidas de modo capitalista.
Também têm, portanto, em comum certos caracteres essenciais.
Neste sentido, pode falar-se de «sistema de Estado [StaatswesenJ hodierno», em oposição ao futuro, em que a sua raiz atual, a sociedade burguesa, se terá extinguido.

cont...

.
 
 a a - 05/11/2009
Como seria uma sociedade comunista ?
.

Pergunta-se, então: por que transformação passará o sistema de Estado numa sociedade comunista?
Por outras palavras, que funções sociais permanecem aí, que sejam análogas às funções atuais do Estado?
Há que responder a esta pergunta apenas cientificamente, e também não se fica mais perto do problema um salto de pulga pela combinação, em mil maneiras, da palavra "povo" com a palavra "estado".

Entre a sociedade capitalista e a comunista fica o período da transformação revolucionária de uma na outra.
Ao qual corresponde também um período político de transição cujo Estado não pode ser senão a ditadura revolucionária do proletariado.


Fonte: Marxist org

.

O que temos nesse texto de Marx ?
Temos que Marx NÃO SABIA como seria a sociedade comunista que ele propunha !

Marx transferiu essa incumbência para a ciência.
E ainda teve a cara de pau de dizer que o estado atual "é ficção" !

Mas como pode isso ?
Se as "relações de produção". a chamada "superestrutura" (estado, direito, ciência, arte, política, filosofia), segundo ele próprio (materialismo histórico), é condicionada pelas forças produtivas ?
Como pode ser a ciência, os cientistas, que vão determinar "cientificamente" como será o estado comunista se a ciência e o estado, ambos, fazem parte da "superestrutura". gerada pelas forças produtivas ?

cont...

.
a a - 05/11/2009
Como seria uma sociedade comunista ?
.


Marx, para ser coerente com a sua própria teoria deveria ter dito:
"Quem irá determinar isso será o desenvolvimento das forças produtivas." !

Mas não disse, a "dialética marxista" não foi competente para responder a pergunta e jogou o problema para a ciência.
E ao fazer isso, jogou no lixo, mais uma vez, o "materialismo histórico".

Marx SÓ SABIA que no "período de transição" o que existiria seria a ditadura do proletariado.
De qto seria esse "período de transição" ele tb não sabia...
É devido a essa não existência de luz no fim do túnel socialista que as nações q adotaram o socialismo permaneceram cada vez mais na ditadura socialista sem jamais chegarem ao comunismo.

.

Por toda a vida Marx propôs a destruição da sociedade atual, mas, o irresponsável não sabia como seria a sociedade que ele propunha !

E os marxistas irresponsáveis atuais, tb continuam na mesma loucura, uma vez que jamais foi feita uma "Teoria da Sociedade Comunista" que explicasse como seria essa coisa !
E tais loucos irão matar - novamente - bilhões de seres humanos em busca da sociedade comunista que não existe.

.
a a - 28/12/2009
O fim do estado segundo Engels
.

Carta de Engels para Philipp Van Patten de 1883

Source: Marx and Engels Correspondence;
Publisher: International Publishers (1968);
[Note: This is a response from a communication from Phillipp van Patten, the Secretary of the Central Labour Union in New York.]

Londres, 18 de Abril de 1883

Desde 1845 Marx e eu tivemos a ideia de que um dos resultados finais da futura revolução proletária será a gradual dissolução da organização política conhecida pelo nome de estado.
O principal objetivo desta instituição tem sido assegurar, por força armada, ou econômica, a opressão da maioria pela minoria que possui riquezas sozinho.
Com o desaparecimento de uma minoria que possuam exclusividade da riqueza, também desaparece a necessidade de o poder armado da opressão, ou o poder estatal.


Obs. Eis ai - em toda a sua simplicidade intelectual a crença marxista em como o estado iria desaparecer !
Marx e Engels acreditavam que ao eliminarem a burguesia (com a ditadura do proletariado) o estado desapareceria por não ser mais necessário !
Os dois estavam convictos de que o que eles achavam que era a função do estado estava correta !
Talvez seja a conclusão teórica mais estúpida da história - ausência total de bom senso e de conhecimento da natureza humana.


cont...

.
a a - 28/12/2009
Mas na ditadura do proletariado o estado existiria
.

Ao mesmo tempo, porém, foi sempre a nossa opinião de que, para atingir este e os outros muito mais importantes objetivos da futura revolução social, a classe trabalhadora deve primeiro tomar posse do poder político organizado do estado e por sua ajuda esmagar a resistência da classe capitalista e organizar a nova sociedade.
Isto encontra-se já em O Manifesto Comunista de 1848, capítulo II, a celebração.


Obs. Ao mesmo tempo, em total contradição, afirmam que os proletários DEVEM MANTER O PODER DO ESTADO EM SUAS MÃOS !
E Engels CONFIRMA que isto foi dito por eles já no Manifesto de 1848.
Os anarquistas colocam a coisa de cabeça para baixo.
Eles declaram que a revolução proletária deve começar por fazer desaparecer com a organização política do Estado.
Mas após a sua vitória a única organização que o proletariado encontra já em vigor é precisamente o estado.
Este estado pode exigir muito consideráveis alterações antes que ele possa desempenhar as suas novas funções.
Mas ao destruí-lo em tão pouco tempo seria destruir o único organismo através do qual o vitorioso proletariado pode afirmar o seu recém conquistado poder, expulsar os seus adversários capitalistas e realizar sua revolução, sem que a vitória possa acabar em uma nova derrota e, em um abate maciço dos trabalhadores semelhantes aos observados após a Comuna de Paris.


Obs. Este trecho de Engels CONPROVA TACITAMENTE que no socialismo "científico" marxista, após a tomada do poder, o estado deve continuar a existir, pois é com ele que os proletários irão destruir os capitalistas.
Foi o que aconteceu em todos os países que implantaram o socialismo marxista no século XX.

cont...

.
a a - 28/12/2009
.

Isto requer expressar a minha garantia de que os anarquista se opõem a Marx a partir do primeiro dia em que foi apresentada na sua forma atual por Bakunin.
A história toda no interior da Associação Internacional dos Trabalhadores é uma prova disso mesmo.
A partir de 1867 em diante os anarquistas estavam a tentar, através da mais infame métodos, para conquistar a liderança do Internacional, o principal obstáculo no seu caminho foi Marx.
Os cinco anos de luta terminou, em Haia o Congresso setembro de 1872, com a expulsão dos anarquistas da Internacional, o homem que fez mais para alcançar esta expulsão foi Marx.
Nosso velho amigo, FA Sorge, em Hoboken, que esteve presente como um delegado, pode dar-lhe mais detalhes, se desejar.


Obs. Neste trecho Engels fala da ferrenha oposição de Marx contra os anarquistas, em especial contra Bakunin, pois Bakunin não concordava com a existência do estado socialista após a tomada do poder.
Bakunin profeticamente adivinhou que os proletários com o poder do estado nas mãos viriam a se tornar uma ditadura !
E Marx, cego em sua ideologia, não enxergou essa clara evidência levantada por Bakunin.

cont...

.
a a - 28/12/2009
.

E agora com relação a Johann Most.
Se alguém afirmar que ele se tornou um anarquista por ter tido relação com Marx ou que tenha recebido qualquer tipo de assistência por parte de Marx, ou foi iludido ou está mentindo deliberadamente.

Após a publicação do primeiro número do London Freiheit, Most não contatou Marx ou a mim mais de uma vez, ou no máximo duas vezes.
Igualmente nós fizemos não fomos até ele, nem sequer falamos com ele por acaso ou em qualquer lugar, a qualquer momento.
No fim das contas, nós sequer assinamos seu jornal porque "não havia realmente nada" nele.
Tínhamos o mesmo desprezo pelo seu anarquismo e suas táticas anárquicas como tínhamos para com as pessoas com quem ele aprendeu.

Quando ele ainda estava na Alemanha Most publicou um "popular" comentário sobre O Capital de Marx.
Marx foi convidado a lê-lo na sua segunda edição.
Eu fiz este trabalho em comum com Marx. Nós achamos que era impossível fazer correções devido a quantidade de erros, era melhor reescrevê-la do começo ao fim.
Marx permitiu o uso das suas correções apenas com a condição expressa de que o nome dele nunca tivesse qualquer ligação com a nova edição feita por Most.

Friedrich Engels

Obs. Nesse trecho final temos apenas o típico desdém e sarcasmo marxista contra aqueles que não concordam com eles.

.
Eric Fernando - 09/07/2010
o que se vê hj é os sindicalistas substituindo os burgueses.
 
primeira < anterior 2 de 2 próxima > última
 
ver todos os tópicos 
 
Você tem sugestões ou comentários? Escreva aqui.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário