quarta-feira, 8 de outubro de 2014

"crise do capitalismo"

"crise do capitalismo" - 45 respostas.
primeira < anterior 1 de 5 próxima > última
a a - 07/01/2010
"crise do capitalismo"
.

Com a expansão da crise financeira de 2009 do EUA para os demais países os marxistas ficaram eufóricos, tanto pelo esperança de que tal crise levasse ao fim do capitalismo, como tb ao alardearem a "sabedoria" de Marx na previsão de "crises" no capitalismo.

Mas, estas aspirações são apenas mais uma tolice de marxistas que nada entendem da realidade econômica, e nem mesmo entendem de marxismo.

A crise financeira (2009) não é a "crise do capitalismo" que Marx previu.

A maioria dos marxistas brasileiros, e provavelmente de todo o mundo, não sabem o que é "crise do capitalismo" segundo Marx !
A maioria dos marxistas confundem crises financeiras com a tão sonhada "crise do capitalismo" que Marx disse que um dia viria.

Marx em seus escritos previu apenas duas "crises do capitalismo".

1 - A crise final, onde aconteceria a revolução do proletariado e o capitalismo seria substituído pelo socialismo.
2 - As crises de superprodução, que seriam cíclicas.

.

Vamos comentar sobre a primeira "crise".

Marx escreveu na “Ideologia Alemã”:

“Esta «alienação» - para que a nossa posição seja compreensível para os filósofos - só pode ser abolida mediante duas condições práticas.
Para que ela se transforme num poder «insuportável», quer dizer, num poder contra o qual se faça uma revolução, é necessário que tenha dado origem a uma massa de homens totalmente «privada de propriedade», que se encontre simultaneamente em contradição com um pequeno mundo de riqueza e de cultura com existência real;
ambas as coisas pressupõem um grande aumento da força produtiva, isto é, um estágio elevado de desenvolvimento."



Esse texto é a base do marxismo.
Esse texto é o "apocalipse' do capitalismo segundo Marx.

cont...

.
a a - 07/01/2010
.

Na visão marxista da sociedade "burguesa" esta iria gerar, no futuro, quando existisse "um estágio elevado de desenvolvimento", uma "massa de homens desprovidos de propriedade" (proletários), em contradição, com um "pequeno mundo de riqueza e cultura" (burguesia).
Esse "poder insuportável" levaria a revolução do proletariado e a tomada do poder pelos proletários e a substituição do capitalismo pelo socialismo.

Como sabemos, essa previsão macabra de Marx jamais aconteceu.
Essa previsão errônea de Marx joga toda a sua teoria no lixo da história, e apenas gente louca pode continuar crendo no marxismo diante desse grotesco erro teórico.

.

Vamos agora comentar a segunda "crise".

Marx deduziu que o processo competitivo de um mercado capitalista levaria a uma concentração da propriedade do capital cada vez em menos mãos.
Marx fez esta afirmação com base no pressuposto de que uma economia competitiva deve conduzir inevitavelmente à eliminação continua dos competidores, tem de existir vencedores e perdedores !
Esta foi a irracional conclusão marxista.

Com isso as corporações capitalistas se concentrariam e o número de indivíduos que deteriam meios de produção diminuiria.
Para a anômola cabeça de Marx, a economia de uma nação capitalista seria como um torneio de poquer, os jogadores vão sendo eliminados, apenas um fica com os milhões do prêmio !

Essa seria para Marx contradição estrutural inerente na dinâmica econômica do capitalismo.
Embora o capitalismo gerasse muitas mercadorias a sua estrutura de classe estaria restrita na capacidade de consumir de uma pequena minoria rica da população !

Ou seja, a produção em larga escala de mercadorias seria incompatível com a concentração das riquezas em poucas mãos !
Como consequência o sistema entraria em crises cíclicas de superprodução, gerando anarquia em todo o sistema de produção capitalista.


cont...

.
a a - 07/01/2010
.

Notamos ai que a segunda "contradição" é devido a primeira.
Não existiriam consumidores para toda a produção porque a primeira contradição geraria uma minoria rica e uma massa enorme de despossuidos.

Mas, qual foi a razão para que Marx supusesse a sua maligna previsão de que o capitalismo iria gerar uma imensa massa de proletários despossuidos ?

Vamos dar uma olhada no que ele diz no seu ensaio de 1849 "Trabalho Assalariado e Capital".

"Ora, quais são os custos de produção da força de trabalho?
São os custos que são exigidos para manter o operário como operário e para fazer dele um operário.
Por isso, quanto menos tempo de formação um trabalho exige, menores serão os custos de produção do operário, mais baixo será o preço do seu trabalho, o seu salário.
Nos ramos da indústria em que quase não se exige tempo de aprendizagem e a mera existência física do operário basta, os custos exigidos para a produçãoreduzem-se quase só às mercadorias exigidas para o manter o trabalhador vivo em condições de trabalhar.
O preço do seu trabalho será portanto determinado pelo preço dos meios de existência necessários."


Esse texto é diabólico, foi produzido por uma mente doente, com profundo ódio da sociedade.
Essa condição cruel seria pior do que a escravidão que acabara de ser abolida no mundo !
Os trabalhadores, segundo a torpe mente de Marx, seriam mantidos pelos capitalistas como se fossem andróides fabricados exclusivamente para trabalhar.

cont...

.
a a - 07/01/2010
.

Marx continua:

"Ora, qual é a lei geral que determina a queda e a subida do salário e do lucro na sua relação recíproca?
Estão na razão inversa um do outro.
A quota-parte do capital, o lucro, sobe na mesma proporção em que a quota-parte do trabalho, a jorna, desce, e inversamente.
O lucro sobe na medida em que o salário desce, e desce na medida em que o salário sobe."
...
"Um rápido aumento do capital é igual a um rápido aumento do lucro.
O lucro só pode aumentar rapidamente se o preço do trabalho, se o salário relativo diminuir com a mesma rapidez."



Segundo essa mente perturbada, um empresário só vai ter lucro se chupar o sangue do empregado !
O empregado seria a única fonte de lucro do empresário, e consequentemente, para aumentar seus lucros o "vampiro" capitalista teria que cada vez mais criar multidões de seres humanos trabalhando apenas em troca dos meios de subsistência !

Evidentemente, como sabemos, o lucro do empresário está na quantidade de mercadorias que ele vende, quanto mais peças de uma determinada mercadoria forem vendidas, mais lucro o empresário vai ter.

Um empresário pode ter 1000 empregados trabalhando para ele apenas pela sobrevivência, mas, se o empresário não conseguir vender o produto fabricado ele não terá lucro !

Como sabemos também, o lucro de um empresário depende da sua criatividade e capacidade em criar novos produtos que venham a ter grande aceitação pelo mercado, como por exemplo o adoçante, o ziper, a moto, o jeans, o Windows, o celular, etc, mercadorias que deram a seus criativos produtores grandes lucros.

A mente doente de Marx jamais imaginou tais acontecimentos, que são óbvios para qualquer mente normal.

.
a a - 07/01/2010
.

Vamos ver um pouco mais da loucura marxista:

"Vemos assim que: se o capital cresce rapidamente, incomparavelmente mais depressa cresce a concorrência entre os operários, isto é, tanto mais diminuem, proporcionalmente, os meios de ocupação, os meios de subsistência, para a classe operária"


Então, segundo Marx, quanto maior o capital menor os meios de subsistência dos trabalhadores...
Para a mente demente de Marx, os empresários são seres estúpidos que produzem milhares de mercadorias e ao mesmo tempo reduzem os que deveriam comprar tais mercadorias, o povo, os trabalhadores, a miseráveis que nada possuem !

Marx, em sua loucura não conseguiu perceber que isso não faz o menor sentido lógico !
Isso seria burrice !


Então, as "crises" surgem, segundo Marx, porque o capitalismo gera uma massa enorme de despossuídos trabalhando apenas pela sobrevivência, e ao mesmo tempo, fabrica enorme quantidade de mercadorias, como os trabalhadores tem cada vez menos condições de subsistência e não podem comprar as mercadorias, o mercado capitalista entra em crise de superprodução !

A realidade histórica provou que essa teoria era a teoria de um louco.
E diante da excelente qualidade de vida e igualdade social dos trabalhadores em nações capitalistas como Inglaterra, Alemanha, França, Italia, etc, que eram a quem Marx se referia, apenas dementes iguais a Marx podem continuar a achar que o marxismo é algo que tenha fundamento !


Para terminar, lembramos que a crise financeira de 2009 foi uma crise que teve como origem a inadimplência de mutuários do sistema habitacional norte-americano e a erros e omissões do FED no controle de tais operações.
Marx jamais disse nada sobre tal crise.

.
a a - 07/01/2010
.

Outra coisa que os marxistas inventam é dizer que os governos, em especial o EUA, ao liberarem créditos aos bancos, ou comprarem parte das ações de um banco, estão sendo “socialistas”, que estão “interferindo na economia”.
Porém, essa compra emergencial de ações de um banco é uma ação de política monetária de um governo responsável, para que os norte-americanos não sofram devido a erros do FED e dos bancos envolvidos.

Interferência do estado na economia para o Liberalismo nada tem a ver com isso.
Liberar crédito para a economia não é “interferir na economia” da forma que o socialismo interfere, no socialismo o estado é dono de tudo e não existe propriedade privada dos meios de produção, a liberação de crédito pelo governo norte-americano – para empresas privadas - na crise imobiliári, não tem nenhuma semelhança com a interferência socialista na economia, que é total.

.

Outro ponto importante para o entendimento desse assunto é que uma crise no setor de hipotecas, como a que aconteceu no EUA, não é uma crise no – modo de produção – o modo de produção, baseado na livre concorrência de empresas privadas, vai continuar sem alteração.
Uma crise financeira setorial provocada por erros gerenciais privados e públicos, são consequências da própria imperfeição humana e não do Liberalismo que já em sua concepção as tem como premissas !

.
a a - 07/01/2010
.

Trecho final do
"Trabalho Assalariado e Capital"
Karl Marx
5 de abril 1849

"E, para além disto, a classe operária recruta-se ainda das camadas superiores da sociedade; afunda-se nela uma massa de pequenos industriais e rentiers que não têm nada de mais urgente a fazer do que erguer os braços a par dos braços dos operários. Deste modo, a floresta dos braços levantados ao ar e a pedir trabalho torna-se cada vez mais densa, e os próprios braços tornam-se cada vez mais magros.

Que o pequeno industrial não pode aguentar a luta, na qual uma das primeiras condições é produzir sempre em maior escala, ou seja, ser precisamente um grande industrial e não um pequeno, compreende-se por si.

Que o juro do capital diminui na medida em que aumentam a massa e o número do capital, em que o capital cresce, que por isso o pequeno poupador já não pode viver do seu rendimento, e portanto tem de se lançar sobre a indústria, e portanto ajuda a aumentar as fileiras dos pequenos industriais e, assim, os candidatos ao proletariado, tudo isto não carecerá de mais explicações.
Na medida, finalmente, em que os capitalistas são obrigados pelo movimento atrás retratado a explorar em maior escala meios de produção gigantescos já existentes e a pôr em movimento, para este fim, todas as molas do crédito, nessa mesma medida aumentam os terramotos industriais, nos quais o mundo do comércio só se mantém sacrificando uma parte da riqueza, dos produtos e mesmo das forças de produção aos deuses das profundezas — aumentam, numa palavra, as crises.

cont...

.
a a - 07/01/2010
.

Elas tornam-se mais frequentes e mais violentas pelo próprio fato de que na medida em que cresce a massa de produtos, portanto a necessidade de mercados mais extensos, o mercado mundial se contrai cada vez mais, restam para exploração cada vez menos mercados novos, porque todas as crises anteriores sujeitaram ao comércio mundial mercados até então inconquistados ou apenas superficialmente explorados pelo comércio.
O capital, porém, não vive só do trabalho. Senhor a um tempo elegante e bárbaro, arrasta consigo para a cova os cadáveres dos seus escravos, hecatombes inteiras de operários que soçobram nas crises.
Vemos assim que: se o capital cresce rapidamente, incomparavelmente mais depressa cresce a concorrência entre os operários, isto é, tanto mais diminuem, proporcionalmente, os meios de ocupação, os meios de subsistência, para a classe operária, e, não obstante, o rápido crescimento do capital é a condição mais favorável para o trabalho assalariado.



Felizmente essa tétrica previsão de Marx jamais aconteceu.
Acontecem crises na economia, pois a economia é feita por humanos, e humanos vivem constantemente em crise de diversos tipos.
Para que não existissem crises econômicas a economia teria que ser feita por robôs completamente insensíveis e sem emoções.

Porém, a apocalíptica e trágica crise prevista por Marx jamais aconteceu !

.
a a - 07/01/2010
Quando seria o "futuro" para Marx ?
.

Quando existiria "um estágio elevado de desenvolvimento" para Marx no quel a revolução pudesse se realizar ?

Ele fez a sua teoria e a escreveu no seu "Ideologia Alemã" na década de 1840, e na década de 1870, quando Marx já residia na Inglaterra a anos, ele afirmou em uma entrevista ao Chicago Tribune, que saiu na edição de 5 de Janeiro de 1879 - que já era possível fazer a revolução "na atual fase histórica" !

Vejamos quais foram as palavras de Marx.

P = Pergunta do jornalista.
R = Resposta de Marx.

P - Isso implica o derrube do atual sistema social ?
R - Este sistema de terra e capital nas mãos dos empregadores, por um lado, e a mera força de trabalho nas mãos dos trabalhadores, por outro, é apenas uma fase histórica, que há de dar lugar a uma situação social mais evoluída.
O antagonismo entre as duas classes vai a par com o desenvolvimento dos recursos industriais dos países modernos.
De um ponto de vista socialista já existem meios de revolucionar a atual fase histórica.


P - Atribuem-lhe também afirmações, segundo as quais nos EUA, na Grã-Bretanha e talvez na França pode acontecer uma reforma do trabalho sem uma revolução sangrenta, mas que terá de haver derramamento de sangue na Alemanha, na Rússia, Itália e na Áustria ?

R - Não é preciso ser socialista para prever uma revolução sangrenta na Rússia, na Alemanha, na Áustria e possivelmente na Itália, se os italianos continuarem a política atual.
....



cont...

.
a a - 07/01/2010
.

Está ai comprovado, pelas próprias palavras de Marx, que em 1879 já existia um "capitalismo desenvolvido" e que existiam condições da revolução acontecer, inclusive na Rússia !
Onde a revolução, segundo Marx, seria sangrenta !
Como alias foi, os marxistas russoa mataram alhuns milhões de russos em nome da revolução marxista.


Tudo isso é um amontoado de tolices e contradições.
A teoria marxista é contraditória, sem nenhum fundamento lógico, a louca ideologia a domina, só poderia mesmo ter gerado aberrações como a URSS e Cuba.

.
 
 alessandro moreira - 07/01/2010
Vale ressaltar também, que em todas essas crises, de diferentes razões, o povo nunca implantou a 'Ditadura do Proletariado', como Marx havia previsto, devido a 'contradição' do capitalismo.

As Ditaduras que existiram nos países comunistas foram feitas, quase que exclusivamente, por REVOLUCIONÁRIOS E ATIVISTAS MARXISTAS, que NÃO eram representantes do povo, eram, em sua maioria, pessoas da 'burguesia, que haviam nascido bem.


Nas Democracias Liberais, em momentos de crise, o povo soube procurar meios de melhorar a situação.
O povo se organizou em sindicatos, cooperativas e criou até 'partidos dos trabalhadores'.

Organizações estas que ficaram imunes à ideologia marxista, e lutaram apenas pelo direito dos trabalhadores.
a a - 08/01/2010
.

alessandro



"Vale ressaltar também, que em todas essas crises, de diferentes razões, o povo nunca implantou a 'Ditadura do Proletariado', como Marx havia previsto, devido a 'contradição' do capitalismo."




Sim.
E nunca foi implantada a ditadura do proletariado pq nunca aconteceu o que Marx havia previsto que o capitalismo iria gerar - uma massa de despossuídos e uma minoria rica.
O capitalismo na Europa e no EUA, que eram as nações a quem Marx sempre se referiu, gerou uma massa de pessoas cultas e com excelente qualidade de vida !
A previsão de Marx foi um erro grotesco.

.
a a - 08/01/2010
.

alessandro



"As Ditaduras que existiram nos países comunistas foram feitas, quase que exclusivamente, por REVOLUCIONÁRIOS E ATIVISTAS MARXISTAS, que NÃO eram representantes do povo, eram, em sua maioria, pessoas da 'burguesia, que haviam nascido bem."



Exato.
E isso se deve a uma posição contraditória de Marx.
Marx, em uma atitude estúpida, indo contra a sua própria teoria, incentivou a revolução - em todo o mundo - mesmo em nações onde não existia um "estágio elevado de desenvolvimento" dos meios de produção !

Essa atitude, juntada ao erro previsivo anterior, tornam a teoria marxista um lixo sem nenhum valor.

É inacreditável, diante destes fatos, que ainda existam humanos que acreditem nela !

Por isso acho que as pessoas que são marxistas não o são por causa da teoria... são marxistas por algo interno a elas, são pessoas com problemas existenciais, é uma doença espiritual daqueles que desejam ser divinos, demência.

.
a a - 08/01/2010
.

Morgue




"Não considero que Adam Smith estava correto em afirmar que o capitalismo é totalmente Auto regulável, mas tem uma certa capacidade de se reajustar, como por exemplo uma empresa fali para outra corporação permanecer no mercado."




O engraçado nessa história é que não existe na obra de Adam Smith tal afirmação !

.
alessandro moreira - 09/01/2010
Arnaldo
;

Eu acredito que o tipo de vida contemporâneo: a vida na cidade, pais superprotetores, cujos filhos deixam o lar mais de duas décadas depois de nascerem, a segurança, a ótima qualidade e expectativa de vida que os humanos conseguiram alcançar neste último século, acabou por gerar pessoas mais fracas !


Antes disso tudo, a vida era duríssima, no campo, perigosa, onde os seres humanos eram postos a prova todos os dias frente a natureza, assim como todas as outras espécies do globo.
Esta competição 'infernal' não permitia, na minha opinião, o florescimento desses sentimentos modernos de 'mudar o mundo'. Cada indivíduo tinha que cuidar de si próprio, sob risco de morte, caso contrário.


Hoje, os jovens, principalmente os que nascem em famílias bem estruturadas, parece sofrer uma angústia interna, devido a ausência dos 'perigos' e dificuldades que antes existiam.

E acabam procurando fora deles a solução. Alguns superam isso, e vão estudar/trabalhar, ter hobbys, fazer amigos e formar famílias.

Mas outros procuram formas de mudar os outros pra se sentirem melhor.



Se analisarmos o perfil dos revolucionários, os ativistas, perceberemos uma norma de comportamento.
E com a doutrina nas escolas, há cada vez mais jovens pendendo para esse lado.
a a - 09/01/2010
.

Alessandro


Sem dúvida as suas ponderações fazem sentido para o momento atual, inclusive achei a sua frase abaixo uma identificação original:

"Hoje, os jovens, principalmente os que nascem em famílias bem estruturadas, parece sofrer uma angústia interna, devido a ausência dos 'perigos' e dificuldades que antes existiam."


Isso realmente existe, porém, acontece com parte dos jovens.


Essa coisa surgiu, na minha opinião, no século XVIII, e surgiu de forma bipolar, digamos que um novo gene tenha surgido no DNA e ele pode adquirir duas conotações, que fazem surgir dois tipos de humanos, os semelhantes a Rosseau, e os semelhantes a Voltaire.
Naturalmente, como isso é uma obra da evolução, necessita de propagação, nem todos os humanos tem isso.

Adam Smith admirava Voltaire e com certeza discordava de Rosseau, e Rosseau tinha seus admiradores, que por sua vez não gostavam de Voltaire.

O Iluminismo gerou duas tendências, os liberais e os revolucionários.

Se lemos textos de Voltaire constatamos que neles existe a realidade, lógica.
Se lemos Rosseau vemos que nele existe a ilusão, o humano com vontade de ser divino.

Se já não bastasse as enormes dificuldades materiais da existência, a evolução, a aquisição da Razão, produziu mais esse forte antagonismo dentro da espécie humana.

A tendência liberal produz humanos vivendo dentro da realidade, e a tendência revolucionária produz loucos vivendo fora da realidade.

.
a a - 13/01/2010
.

†┼ Morgue┼†



"É, não me expressei direito.
O que eu queria fazer na verdade é uma referência direta à Mão invisível do Adam Smith, agora façam uma forcinha pra entender o que eu escrevi.
Devia também me atentar ao fato de que Adam Smith realmente em nenhum momento escreveu que o capitalismo é totalmente auto-regulavel, me confundi.
Na verdade eu queria dizer de que, é necessário a intervenção de algum órgão regulador para que a economia permaneça estável.
Ainda sou um iniciante, acho que esse erro é tolerável e não engraçado."




A referência a ser engraçado não foi para vc, foi dito por mim:

"O engraçado nessa história ..."


Foi dito "nessa história" pq isso que vc disse já foi dito outras vezes aqui.
Sabemos o motivo disso, muitas pessoas pensam isso pq os professores marxistas nas escolas e universidades contam essa história, e tb na midia muitos dizem isso, que Adam Smith disse que o "capitalismo se auto regula", coisa que jamais foi dita por ele.


O conceito da mão invisível é outra coisa, nele Adam Smith disse que - apesar dos seres humanos agirem sempre em proveito próprio, se isso for feito em uma sociedade com justiça e igualdade, essa ação egoista dos seres humanos trará o progresso para a sociedade como um todo.
Como se existisse uma mão invisível conduzindo o processo.

.
 
 a a - 25/06/2010
.
25/06/2010-08h35
Congresso dos EUA finaliza histórica reforma de Wall Street
DA REUTERS, EM WASHINGTON

Os parlamentares dos Estados Unidos finalizaram uma histórica reforma de regulação financeira no início da manhã desta sexta-feira, entregando ao presidente Barack Obama uma enorme vitória doméstica na véspera de uma cúpula global dedicada a reformar o sistema financeiro, a reunião do G20 em Toronto, neste fim de semana.

Em uma maratona parlamentar que durou mais de 21 horas, os legisladores reescreveram as regras de Wall Street, o que afetará os lucros da indústria financeira e que irá submetê-la a uma supervisão mais rígida e a restrições mais duras.

A reforma mais abrangente das leis financeiras desde os anos 1930 pretende evitar a repetição da crise financeira de 2007-2009, que iniciou a recessão econômica e levou a resgates de gigantes financeiros com dinheiro público.
As instituições financeiras teriam de pagar US$ 19 bilhões para cobrir seus custos.

A reforma afeta todos os âmbitos do setor financeiro, pois inclui medidas de proteção ao consumidor, maior poder de supervisão ao Governo, regula pela primeira vez os mercados de derivados e limita a possibilidade dos bancos, como ocorreu em anos anteriores, arriscarem seus fundos.

A aprovação da lei, amplamente esperada, também deve somar-se à reforma do sistema de saúde e dar ao Partido Democrata uma importante vitória legislativa antes das eleições parlamentares em novembro.

cont...

.
a a - 25/06/2010
.

A reforma ainda precisa ganhar a aprovação de ambas as câmaras do Congresso antes que Obama possa sancioná-la, dando a Wall Street uma última chance de organizar seu exército de lobistas no Capitólio. É esperada uma ação rápida do Parlamento, e a lei pode ir para assinatura de Obama até 4 de julho.

Mas a lei ficou realmente mais rígida na jornada que já dura anos pelos corredores do Congresso norte-americano. Os democratas lideraram uma onda de irritação pública contra a indústria que se presenteava com bônus abundantes enquanto grande parte do país passava por dificuldades durante a profunda recessão causada por suas ações.

"Nós nos preocupamos sobre as grandes quantias de dinheiro. Eu me preocupo com as grandes quantias de dinheiro que têm influência corruptiva, mas é tranquilizador saber que quando a opinião pública está engajada, ela ganha", disse o deputado democrata Barney Frank, que presidiu o painel.

Os democratas correram para completar seu trabalho antes de Obama viajar nesta sexta-feira ao Canadá para a cúpula do G20. O presidente poderá falar sobre a reforma como modelo para outros países, que tentam coordenar seus esforços para a reforma.

.

Nas democracias onde existe liberdade e o Estado de Direito as instituições devem ser constantemente melhoradas para amenizar os erros cometidos pelos humanos e que sempre existirão.

.
Jr. Trash - 03/04/2011
Arnaldo.

Gostaria de saber se você colocará este texto nos seus blogues. Se não, sugiro que ponha, pois é muito elucidativo.
a a - 04/04/2011
.
Junior
Esse texto está no blog "Marx é inquestionável!?", no item 4.5 – Crise financeira não é "crise do capitalismo".
.
http://inquestionavelmarx.blogspot.com/
.
.
Eu estou, na medida do possível, passando alguns textos do "Marx é inquestionável?!", que engloba tudo, para blogs isolados.
.
Jr. Trash - 05/04/2011
Obrigado.

O trabalho dos blogs está muito bem feito. Sempre que posso, estou acompanhando.
a a - 02/09/2011
A causa da crise de 2008-9
.

02/09/2011 - 19h17
Nos EUA, governo processa 17 bancos por crise financeira de 2008
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Dezessete bancos e instituições financeiras americanas estão envolvidos em um processo apresentado nesta sexta-feira pela Agência Federal de Financiamento Imobiliário (FHFA, na sigla em inglês), que acusa a estes organismos de fraudes e manipulações que culminaram na crise de crédito do setor hipotecário americano (conhecida como a crise dos "subprimes"), iniciada em 2008, disse a própria FHFA nesta sexta-feira em comunicado.

O "New York Times" já havia noticiado o processo em sua página na internet e este foi confirmado pela FHFA na noite desta sexta-feira. Os processos devem custar mais de US$ 30 bilhões em indenizações que serão cobradas de grandes bancos, entre eles o JPMorgan Chase e o Deutsche Bank.

Segundo a CNN, os bancos que enfrentarão processo são: Ally Financial; Bank of America; Barclays Bank; Citigroup; Countrywide Financial; Credit Suisse Holdings; Deutsche Bank; First Horizon National; General Electric; Goldman Sachs; HSBC North America; JPMorgan Chase; Merrill Lynch/First Franklin Financial; Morgan Stanley; Nomura Holding America; Royal Bank of Scotland e Société Générale.
.....
As ações questionam o papel desempenhado pelos bancos na renegociação de créditos hipotecários de alto risco --baseados em investimentos de devedores artificialmente incrementados e inclusive falsificados-- sob a forma de título da dívida vendidos nos mercados.

Esses créditos, chamados "subprime", geraram a crise financeira que teve início em 2007 e teve seu auge em 2008-2009, quando o sistema como um todo entrou em colapso após o "default" (calote) de milhares de devedores e a queda dos títulos, o que resultou na quebra do banco de investimentos Lehman Brothers, no dia 15 de setembro de 2008.

A crise dos "subprimes" gerou perdas de US$ 30 bilhões ao Fannie Mae e ao Freddie Mac, dois organismos semi-estatais de refinanciamento hipotecário, que foram
a a - 06/09/2011
Pronunciamento da presidenta Dilma
.

A presidenta Dilma no início de seu pronunciamento de hoje disse:

"O mundo enfrenta os desafios de uma grave crise econômica e cobra respostas novas para seus problemas.
Apesar de ter a mesma raiz, a crise atual é mais complexa que aquela de 2008, da qual nós nos saímos muito bem."


Isso não é verdade.
A crise de 2008 foi causada por fraudes no sistema de financiamentos "subprime" do mercado imobiliário do USA e que causou a falência de algumas seguradoras norte-americanas, e uma subsequente falta de crédito.

A crise "internacional" atual, que ainda não aconteceu, apenas está sendo prevista para acontecer pelo governo brasileiro, tem sua raiz em causa muito diferentes da de 2008, a atual está sendo causada devido a insolvência de algumas nações da Europa, em especial Portugal, Grécia e Espanha, governadas por socialistas, que apesar de não terem competência para produzir o suficiente, quiseram ter padrão de vida igual a outros países da Europa, e para manter tal padrão de vida artificial fizeram grandes empréstimos em bancos europeus que agora não podem pagar.

Então, a crise de 2008 não tem a mesma raiz que a atual como disse a presidenta.

cont..

.
a a - 06/09/2011
Pronunciamento da presidenta Dilma
.


A presidenta em seguida disse:

"Os países ricos se preparam para um longo período de estagnação ou até de recessão. Mas a crise não nos ameaça fortemente, porque o Brasil mudou para melhor."


Isso o governo brasileiro está dizendo... nenhuma nação desenvolvida afirmou isso, mesmo porque são apenas as nações citadas as que realmente tem problemas graves já detectados, algumas outras como Itália e França precisam fazer ajustes para não ter problemas.

Outra coisa é que se uma nação como a Inglaterra ou Alemanha ficar estagnada, isso não significa que ingleses e alemães vão passar necessidades... não, eles vão continuar a produzir um PIB percapita muito bom que em média fica em torno de 30 mil dolares.
Eles apenas não vão aumentar essa renda todo ano.

E devemos lembrar, essa "grave crise internacional" preconizada pelo governo brasileiro é apenas uma suposição.

.
Arnaldo Arnolde - 08/09/2011
Sobre crescimento econômico
.

A midia brasileira nestes dias está noticiando e comentando intensamente sobre a "crise internacional' e repete com a voz embargada de emoção exultante que os países desenvolvidos vão diminuir o crescimento econômico e até estagnar.
Dizem isso como se fosse uma coisa terrível...
Mas, não é.

As nações não são obrigadas a ficarem crescendo, crescendo, crescendo todos os anos, isto não é uma lei absoluta, isso não depende apenas de querer, isso depende de vários fatores.

Não crescer para uma nação como a Bolívia que tem grande parte da sua população na miséria é um problema, mas, não crescer para a Austria não é um problema.
Se a Bolívia não cresce isso significa que os miseráveis da Bolívia vão continuar miseráveis, não crescer para os austríacos significa apenas que eles não vão melhorar ainda mais o seu já excelente padrão de vida.

Vejamos o PIB da Austria nos últimos anos:

ANO_VALOR_% crescimento

2000 229.934 5.89 %
2001 236.352 2.79 %
2002 244.136 3.29 %
2003 251.390 2.97 %
2004 263.798 4.94 %
2005 278.816 5.69 %
2006 298.258 6.97 %
2007 318.487 6.78 %
2008 332.538 4.41 %
2009 322.537 -3.01 %
2010 332.005 2.94 %


Vemos ai que o PIB da Áustria cresce sempre - em relação ao ano anterior - mas, em 2009, ele não cresceu, em 2008 o PIB foi de 332 bilhões, em 2009 de 322 bilhões e em 2010 voltou para 332 bilhões.

cont...

.
 
 Arnaldo Arnolde - 08/09/2011
.

Vejamos agora o que aconteceu com a renda per capita dos austríacos no periodo:

ANO_VALOR_% crescimento

2000 28700.28 5.64 %
2001 29388.63 2.40 %
2002 30206.87 2.78 %
2003 30966.01 2.51 %
2004 32290.87 4.28 %
2005 33897.45 4.98 %
2006 36073.98 6.42 %
2007 38367.54 6.36 %
2008 39889.11 3.97 %
2009 38566.99 -3.31 %
2010 39634.13 2.77 %


Em 2008 a renda de cada austrúiaco foi de 39889 dolares, em 2009 caiu para 38556 dolares e em 2010 voltou para 39634 dolares.
Ou seja, com a queda de -3,31% no CRESCIMENTO da renda per capita os austríacos ainda continuaram a ter uma excelente renda!
38 mil dolares !

Então, se a Austria não crescer mais, permanecer estagnada, isso não vai ser algo terrível, os austríacos vão continuar a ter uma excelente qualidade de vida!

Quem precisa querer crescer sempre são as nações pobres, para com isso, se existir distribuição de renda, os pobres possam melhorar de vida, quanto aos países desenvolvidos, isso não tem grande importância, eles vão continuar a ter uma ecelente qualidade de vida.

.
Arnaldo Arnolde - 04/11/2011
Sobre a "crise internacional"
.

A mídia brasileira em todos os seus programas, noticiários, comentários, entrevistas, etc, se refere a crise como "crise mundial" ou "crise internacional" ou "crise global" na maioria dos seus pronunciamentos.

E os malucos dos partidos comunistas brasileiros em suas aparições propagandistas na TV pregam aos berros que - "Marx estava certo!", "O capitalismo está acabando!".

Diante disso, dessa unanimidade, eu sou propenso a acreditar que a imbecilidade dominou por completo...

Mesmo entre grupos de discussão onde os participantes são economistas não se tem a verdade aventada em nenhum momento!

Quais são os fatos causadores da crise?
São eles:
- A dívida impagável da Grécia, de Portugal e da Espanha, que ameaçam dar calote.
E por que tais nações chegaram a essa situação?
- Chegaram a essa situação pq por muitos anos estão sendo governadas POR SOCIALISTAS e em virtude disso, buscam dar a seus cidadãos todos os direitos que eles acham que tem direito...
Embora os cidadãos NÃO TENHAM COMPETÊNCIA para cumprir com todos os seus deveres produtivos para que possam fazer jus aos seus direitos de consumo, tais países deram a eles todos os direitos.
E como fizeram isso?
- Fizeram isso emprestando dinheiro de bancos de outros países europeus e com ele sustentavam os privilégios que não tinham competência produtiva para ter.

Evidentemente esse era um processo que iria num ponto de ruptura, iria chegar uma hora em que teriam que pagar a conta aos bancos...
Só que nessa hora, incompetentes em produzir que são, por serem socialistas, não tem como pagar.

Como Sarcozy denunciou, a socialista Grécia, usando mais uma vez o "método" marxista-socialista, FALSIFICOU a informação que deu a União Européia para poder ser aceita como membro da UE!
E em seguida, como típico estelionatário, emprestou dinheiro tendo absoluta certeza que não poderia pagar...

Isto é típico de socialistas.

cont...

.
Arnaldo Arnolde - 04/11/2011
Sobre a "crise internacional"
.


Então, a "crise internacional do capitalismo" não existe.
O que existe é a crise em 3 nações governadas por SOCIALISTAS na Europa, e que em virtude do calote que ameaçam dar, podem trazer algum problema - exclusivamente - para alguns bancos europeus, mas nada terrível, pois a economia dessas 3 nações é diminuta comparada com as grandes nações da Europa.
O que a mídia politicamente correta está fazendo, mais uma vez, é fazer o que o marxismo quer, tentar causar pânico, medo, desordem, na sociedade a partir da propagação de mentiras.

No hipócrita mundo atual, a mídia politicamente correta conseguiu transformar mais uma crise de NAÇÕES SOCIALISTAS em uma "crise do capitalismo"!

E não existe sequer UMA autoridade em qq parte do mundo que diga - espera ai... não é uma crise mundial, é uma crise local, e não é uma crise do capitalismo, pois quem está em crise são nações socialistas!

Vamos ver no que vai dar toda essa hipocrisia avassaladora dominante no mundo atual...

.
alexandre socó - 04/11/2011
Arnaldo
Vou logo falando, sou ignorante em economia... Mas, por que a união européia simplesmente não abandonou estes três países de uma vez. O que fez um país diligente como a Alemanha atrelar sua moeda com estes países onde ninguém quer trabalhar!? O que a Alemanha ganha com essa fusão monetária com países que, notadamente, produzem muito menos e ainda fazem dívidas impagáveis?!
Arnaldo Arnolde - 04/11/2011
.
alexandre


"Mas, por que a união européia simplesmente não abandonou estes três países de uma vez."


Acredito q seja por causa dos acordos firmados, não podem rasgar contratos.
E tb Alexandre, isso não resolveria o problema, a intenção principal é perder o menos possível de dinheiro... então tentam esgotar todas as possibilidades amigáveis para receber.



"O que fez um país diligente como a Alemanha atrelar sua moeda com estes países onde ninguém quer trabalhar!? O que a Alemanha ganha com essa fusão monetária com países que, notadamente, produzem muito menos e ainda fazem dívidas impagáveis?!'"


A intenção principal da UE (ou do Mercosul) é baixar custos em especial perla não cobrança de impostos e taxas aduaneiras.
A invenção do "euro" a mim sempre pareceu uma coisa arriscada... a Inglaterra nunca aceitou o euro pelo que sei.

Sobre a Alemanha, ela ganha o mesmo q os demais, ou seja, não tem vantagem adicional alguma.
O que leva a Alemanha a aceitar isso?
Talvez seja remorso... muitos na Alemanha e por toda a Europa ainda acham q a Alemanha tem uma dívida com os demais...

.
alexandre socó - 04/11/2011
Arnaldo,


E o caso da Itália? Parece que ela entro pro "g-4" (países na pindaíba), o caso da Itália é similar aos outros?!
Arnaldo Arnolde - 04/11/2011
.

O caso da Itália é igual ao da França, que tb tem uma grande dívida interna, e de outras nações.
O problema da Itália é que os comunistas mais escrotos e sujos do mundo são italianos...
Eles odeiam extremamente a Berlusconi e a todos os democratas italianos, e incessantemente inventam as mais variadas mentiras contra eles.

A Itália tem uma dívida interna alta, mas a Itália é a quarta economia da Europa e tem de onde tirar dinheiro se precisar, a Itália é uma nação rica...

Então Alexandre, na minha opinião, a Itália esta fora desse embrulho.

.
Arnaldo Arnolde - 05/11/2011
Dividas de países europeus
.

ANO 2010

Portugal
PIB: 247.458
interna: 92.919
externa: $497.8 billion

Espanha
PIB: 1372.72
interna: 60.117
externa: $2.166 trillion

Grécia
PIB: 318.67
interna: 142.757
externa: $532.9 billion

França
PIB: 2134.94
internal: 82.326
external: $4.698 trillion

Itália
PIB: 1778.832
internal: 118.995
external: $2.223 trillion

Inglaterra
PIB: 2181.45
internal: 75.502
external: $8.981 trillion

Alemanha
PIB: 2944.35
interna: 83.964
externa: $4.713 trillion

Noruega
PIB: 255.022
interna: 55.42
externa: $2.232 trillion

.

O que tem que ser observado é a porcentagem da dívida em relação ao PIB.
Vemos por estes dados que se fosse por causa do tamanho da dívida as nações que estariam em piores condições seriam Inglaterra e França...
Mas, a questão a meu ver não é essa, trata-se de capacidade de pagamento.

.
Arnaldo Arnolde - 05/11/2011
.

Alguns países que não estão em crise.

Canadá
PIB: 1334.143
dívida interna: 83.953
dívida externa: $1.009 trillion

Coreia do Sul
PIB: 1466.125
dívida interna: 33.444
dívida externa: $380.6 billion

Japão
PIB: 4323.504
dívida interna: 220.002
dívida externa: $2.441 trillion

Russia
PIB: 2230.954
dívida interna: 11.747
dívida externa: $405.7 billion

Hungria
PIB: 188.677
dívida interna: 80.197
dívida externa: $152 billion

Australia
PIB: 883.807
dívida interna: 20.521
dívida externa: $1.268 trillion


E mais um da Europa individada.

Holanda
PIB: 680.772
dívida interna: 63.676
dívida externa $3.733 trillion


Comparando a situação dos países do mundo e da Europa, somos levados a concluir que a Europa realmente gastou mais do que produziu e se encontra individada e em situação difícil...

Não tenho dúvidas que chegaram a essa situação por influência socialista politicamente correta - todos tem direito a tudo que necessitam!
Muito gratificante isso para egos alienados...
Só que existe uma realidade, vão ter que pagar a conta do supermercado!

.
Arnaldo Arnolde - 05/11/2011
China e EUA
.

China
PIB: 10119.9
dívida interna: 33.83
dívida externa: $428.4 billion

EUA
PIB: 14526.55
dívida interna: 94.356
dívida externa: $13.98 trillion

O EUA tem uma dívida enorme, 14 trilhões, mas que ainda não ultrapassou o PIB.

A China é o maior credor do EUA... e por isso, está amarrada ao EUIA.
Sempre achei que isso é um cheque em branco que o EUA fez a China passar em troca da tecnologia que foi instalada na China, vai que de uma hora para outra os ditadores chineses confisquem todos os bens de estrangeiros na China...

.
 
 Daniel and Lais - 05/11/2011
Que vantagem haveria em os USA de repente resolverem pagar essa dívida e zerá-la?

Over
Arnaldo Arnolde - 06/11/2011
.

Daniel

"Que vantagem haveria em os USA de repente resolverem pagar essa dívida e zerá-la?"


Nenhuma.
Apesar da divida do EUA ser teoricamente pagável pq é menor q o PIB, para zerá-la levariam vários anos.

Se tem PIB tem imposto e pode rolar a dívida, o problema é q vem crescendo, e com Obama a tendência é aumentar alem da conta pq o cara quer satisfazer os "direitos" de muitos.

E como o maior credor é a China, e o EUA quer manter a China amarrada, não vai pagar nunca essa dívida!

.
Eric Fernando - 19/02/2012
Arnaldo
O que me da asco é que o tempo todo falam que essa crisé do capitalismo mas se esquecem que em raras exceções a esquerda controlou toda a europa e america e que ela causou a crise então a crise é da esquerda e não da direita!!!!
Arnaldo Arnolde - 19/02/2012
.

Sem dúvida Eric.
Grécia, Portugal e Espanha foram governados por muitos anos por socialistas.

.

Tiger . - 28/06/2012
Para entender a crise financeira
Como o governo americano contribuiu para a criação da atual crise financeira.
 
primeira < anterior 5 de 5 próxima > última
 
ver todos os tópicos 
 
Você tem sugestões ou comentários? Escreva aqui. 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário